domingo, 24 de fevereiro de 2008


nascemos mortos por dentro
homens ocos
acobertados pela fé

(horda, maldita horda é o que somos)

fugimos da vida
refugiados na esperança

que chega ao entardecer

3 comentários:

Minina disse...

lembrei daqela pergunta, ápice d todas as fugas: vai mais um copo?

rsrrsrs

bjo, qerido.

Dauri Batisti disse...

Bonito poema. Me fez lembrar nietzsche. Haveremos de aprender a não fugir (quando?) pegando a onda da esperança que nos despejaria no amanhecer.

Maria disse...

e assim ficamos entrincheirados...
bjks