sábado, 27 de janeiro de 2007

sujos pelo tempo interminável
mudos
tristes
solitários
loucos anjos esquecidos
têm os olhos roubados
pela reza dos desesperados

3 comentários:

Celso disse...

Cada prece sempre nos furta algo, poeta.

Linkei este blog teu também.

Um abraço

marcos pardim disse...

dura, muito dura, duríssima, a luta pela sobrevivência de um anjo...

Valéria disse...

aqui nosso estômago se revira... fico aqui pensando o que somos nós pra termos feito um mundo assim...
beijo